Lê a nossa página e vê o que fazemos!

06 dezembro, 2016

Portugal Português: Ramirez e a indústria conserveira portuguesa


          A Biblioteca Ferreira de Castro, através do seu Projeto Saber Mais e da sua rubrica Portugal Português, dinamizou com patrocínio, uma exposição sobre a marca portuguesa Ramirez que representa a mais antiga fábrica de conservas do mundo em laboração e que nasceu em 1853. Esta exposição destinou-se a ser explorada pelas disciplinas de História e Geografia de 9º ano, servindo de mote ao estudo da industrialização de Portugal desde o século XIX, ao desenvolvimento das atividades piscatória e conserveira nacional, aos métodos de laboração e direitos dos trabalhadores ao longo dos tempos, à economia nacional e seus produtos de exportação, aos recursos naturais e sua exploração, à evolução dos designes da marca e sua publicidade, etc. A marca Ramirez, presente em cinco continentes com mais de quinze marcas próprias, inicia em 2007 uma aposta no segmento da alimentação saudável, o que nos remete também para o currículo de Ciências Naturais. Em 2010 a Ramirez torna-se cofundadora do Hiper-Cluster do Mar Português, um projeto de revitalização das atividades ligadas à economia do mar.Ainda neste ano, a Ramirez obtém o eco rótulo azul MSC do Marine Stewardship Council, que confere à pesca de cerco da sardinha portuguesa um certificado de sustentabilidade ambiental, e tornou-se na primeira empresa do sector em Portugal a ser homologada pela Moody’s. Deste modo todos os alunos de 9º ano puderam aplicar as aprendizagens do currículo a um estudo de caso de marca de sucesso nacional.










Para além da visita à exposição organizada pelo Projeto Saber Mais e Biblioteca Escolar, cerca de cento e vinte alunos puderam assistir a uma palestra sobre a história e atualidade da empresa Ramirez, apresentada pela Dr.ª Joana Queiroz, diretora de marketing da marca.










Sem comentários:

Enviar um comentário