Lê a nossa página e vê o que fazemos!

04 maio, 2014

Dia da Mãe



Uma quadra vou escrever
E à minha mãe dedicar
Pois um poeta tem que ter
Conjugado o verbo amar

Não há no mundo ventura
Igual a quem tem
Essa infinita ternura
O amor eterno da mãe
  
Quando alguém me perguntar
 Porque adoro minha mãe
 Respondo que é respirar
Como o amor que ela me tem

António Castel-Branco
Sintra, 2/05/2014