Lê a nossa página e vê o que fazemos!

29 outubro, 2012

Instinto Supremo

 

capa instinto supremo

“Com os remos a chapejarem surdamente, cautelosos como os dos ladrões, nas proas um ruído fino, menor ainda que o dos boto cortando a tona da água, as canoas meteram a terra. (…)” Assim começa o romance “Instinto Supremo” de Ferreira de Castro.

No capítulo II, vamos poder ler a carta de Dona Tarsília para o seu esposo, Sr. Bonifácio:

«Quando ontem, li, num jornal, que os Parintintins não estavam ainda civilizados porque são os índios mais ferozes do Amazonas, fiquei como louca.»«Tu não gostas de mim; se gostasses não terias ido para aí, terias ido para o Rio Branco, dirigir as fazendas do meu pai, e me levado contigo. (…)».

E no capítulo XII podemos seguir um diálogo entre os índios Parintintins e os homens do seringal Três Casas, na Amazónia:

«- Diz que os Parintintins já não estão pensando todos da mesma maneira, que muitos já deixaram as suas malocas e foram viver longe. Os que vieram deitar abaixo a porteira, foram embora na outra lua. Os que flecharam o banheiro e o batelão e outros que também andaram por aí atacando, foram ontem. Esses não têm confiança nos civilizados, não querem mudar de vida, querem ser selvagens mesmo. (…)

«- Ele diz que não tem confiança em nós, porque não damos rifles a eles… (espingardas)»

« – Diga que seu Amaro já explicou outro dia, mas que ele decerto não compreendeu. Se déssemos rifles, eles matavam a nós. E nós temos um chefe que não quer que se mate ninguém. Nem índios nem civilizados. O nosso chefe não quer mais guerras, quer ver todos os homens amigos, como irmãos. (…)».

Lê este livro e vem partilhar conosco a tua opinião sobre ele.

Podes ler um pouco da história dos índios Parintintins, neste endereço: http://pib.socioambiental.org/pt/povo/parintintin/912

Para saberes mais sobre as dificuldades por que passaram as tribos indígenas brasileiras consulta este endereço: http://www.webbrasilindigena.org/?page_id=258

Durante quatro anos, Ferreira de Castro viveu no Seringal Paraíso, na Amazónia. Em “Instinto Supremo” ele relata-nos a época da pacificação destes índios, que foi pedida pelo dono do Seringal Três Casas, Manuel Lobo, em 1922.

22 outubro, 2012

Dia Internacional da Biblioteca

 

 

Atualmente, o dia 22 de Outubro é o Dia Internacional da Biblioteca Escolar, embora tenha sido comemorado pela primeira vez a 18 de Outubro de 1999. DSC00514

Nesta data, quisemos homenagear o escritor José Jorge Letria. Assim, algumas turmas passaram pela nossa Biblioteca Escolar, para conhecerem melhor a vida e a obra deste autor. Deixamos-te algumas imagens desta atividade.

Atividade Biblioteca 2

01 outubro, 2012

Dia Mundial da Música

O Dia Mundial da Música foi instituído em 1975 pelo International Music Council, organização não-governamental fundada em 1948 sob o patrocínio da UNESCO, com o objetivo de promover os valores da paz e da amizade.

A música é um meio de comunicação entre os povos e mesmo naqueles onde não existe a palavra Música, e são muitos, esta é indissociável da estrutura de muitos rituais comunitários e atravessa todo o sistema educativo.

Porquê educar pela e com a Música?

Platão responde de forma simples: Porque a Música penetra mais fundo na alma humana.

Porque muito antes de os homens organizarem os sons, os sons organizaram os homens.

Aqui ficam as imagens da comemoração deste dia, na nossa Biblioteca.

A turma do 6º I interpretou dois temas musicais: A vida somos nós e Lobos marinhos da autoria de Rui Freitas. Os professores Rui Freitas e Luciano Dinis interpretaram os tema Green leaves e Dark eyes acompanhados à guitarra e ao violino.